[Livro] Pesquisa em rede de mulheres negras

[…] há 17 anos, iniciou-se um processo com cursos acadêmicos baseados em uma espécie de sinergia, que fomentou um chamado. Com esse formato de trabalho em rede, foi possível realizarmos, no itinerário que nos desafiamos a cruzar, reuniões e viagens (físicas e mentais), além de convocarmos para o debate sobre o etnoeducacional como estratégia de diálogo antirracista. Com Claudia Miranda, ampliamos visões filosóficas de educação sem deixar o observar as idiossincrasias e performatividades negras no Brasil, em perspectiva comparada. Nossa forma de enfrentar a internacionalização levou em conta os sentidos de Diáspora Africana na América Latina. Sob essa orientação, este projeto de colaboração na pesquisa se desenhou a partir de uma proposta dialógica e de escuta, uma proposta agregadora e formativa. Ações baseadas na ampliação das esferas de diálogo entre diferentes visões de herança ancestral e promoção de espaços de memória foram consideradas nas atividades autogestionadas que propomos

(Fragmento do Prefácio)

Fanny Milena Quiñones Riascos – Fundadora da Red Nacional de Maestros y Maestras Investigadoras Tras Los Hilos de Ananse – Bogotá (2020).

Sobre as autoras:

Claudia Miranda - Fundadora da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras

Claudia Miranda

Fundadora da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras

Pós-doutora em Psicossociologia pela UFRJ (2018-2019),  pesquisadora CNPq e Mestre (UFRJ) e Doutora (UERJ) em Educação. Professora Associada I  do Departamento de Didática e do Programa de Pós-graduação em Educação da UNIRIO. Professora da Especialização e Curso Internacional Estudios Afrolatinoamericanos y Caribeños Pensar América Latina y el Caribe es pensar la raza (2019-2020) do CLACSO. É membro do Grupo de Trabalho Afrodescendência e propostas contra-hegemônicas (CLACSO), professora da Escuela Internacional CLACSO Más allá del decenio afrodescendiente. Coordena os projetos de pesquisa Intercâmbio Colômbia – Brasil: experimentos afrolatinos e diálogos interculturais na produção do conhecimento refletida nas políticas curriculares e, Como a Educação Intercultural impacta as políticas e as práticas curriculares no Brasil e na Colômbia: um estudo comparado sobre a participação dos movimentos pedagógicos e as perspectivas de gestores/as e etnoeducadores/as. Faz parte da  Red de Etnoeducadores Los Hilos de Ananse na Colômbia. Foi consultora da Fundação Cultural Palmares/MinC (2007-2010) no Projeto de Cooperação com os países da América Latina intitulado Processo de mapeamento das dimensões da cultura.


Fanny Milena Quiñones Riascos

Mestre em Educação, licenciada em Ciências Sociais (1995) pela Universidad Pedagógica Nacional (Bogotá/Colômbia). Ativista do movimento afrocolombiano, foi Diretora de Assuntos Étnicos da Alcaldía Mayor de Bogotá (2014-2015). É membro da Comissão Pedagógica Nacional para a Cátedra de Estudios Afrocolombianos e membro da equipe da Revista da Federación Colombiana de Educadores [FECODE]. Coordenadora da Expedición Pedagógica Ruta Afrocolombiana e fundadora da Red Nacional de Maestros y Maestras investigadoras Tras Los Hilos de Ananse. Docente da Secretaria de Educación de Bogotá. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas Formação de Professores/as, Currículo (s), Interculturalidade e Pedagogias Decoloniais – GFPPD (UNIRIO-Brasil).


Sônia Maria Vieira da Silva

Formada em Ciências Econômicas (UCAM) Pedagogia (UNIRIO), Especialista em Educação a Distância (SENAC), Mestra em Educação (UNIRIO). Especializada em Administração e Supervisão Escolar/Docência no Ensino Superior (Instituto a Vez do Mestre).  Professora  das séries iniciais da Educação  Básica (SME/Nova Iguaçu) , desde 2015 e como Coordenadora de Tutoria, do curso de graduação  em História EAD-UNIRIO (desde 2016). Integra a Rede  Carioca de Etnoeducadoras Negras desde sua fundação (2015).


Célia Regina Cristo de Oliveira  

Fundadora da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras

Doutoranda em Educação (2018-1922) pela UNIRIO..Pedagoga e Mestre em Ensino (UERJ). Professora das séries iniciais da educação. básica (SME/DC) desde 2001. É especialista em Educação e Relações Raciais, pelo Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira -PENESB/UFF – vinculado ao projeto UAB/MEC/SECADI (2015). Especialista em Alfabetização das classes populares/UFF (2003). É membro do Grupo de Pesquisa Formação de professores, Pedagogias Decoloniais, currículo e interculturalidade: agendas emergentes na escola e na universidade(UNIRIO).


Danielle de Deus França Gomes Galvão Vaz

Faz parte da comissão organizadora da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras desde a sua criação (2015). é Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Pedagoga graduada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.  Leciona nos níveis iniciante, intermediário, avançado, pós- avançado em curso de formação de professoras (es) de línguas. Tem experiência como coordenadora pedagógica. Foi integrante do Programa de Bolsas de iniciação à docência (PIBID – Ensino Médio)


Rejane Costa da Silva

Mestre em Educação pelo PPGEdu (UNIRIO).

Licenciada em Pedagogia (UNIRIO).

Experiência em Educação Infantil, nos Anos Iniciais, na Educação de Jovens e Adultos, como Professora Formadora EAD História,  em Avaliação de Artigos Científicos (Revista Artes de Educar, em Orientação de TCC de Licenciatura em Pedagogia EAD, no Ensino e na Pesquisa. Faz parte da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras desde 2015.


Ana Beatriz da Silva

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Geografia (2021-2025) pela UFF.Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO; Especialista em Gênero e Sexualidade em Práticas Pedagógicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ/IMS). Geógrafa, Bacharel e Licenciada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ. Coordenadora do Projeto Pesquisadores da Educação Básica da Uniperiferias. Diretora de Projetos Sociais  e de Campo da ONG-Coisa de Mulher/Casa das Pretas/RJ.


Carla Aparecida da Silva

Doutoranda em Educação (2020-2024) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu/UNIRIO), Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu/UNIRIO), na linha de pesquisa Práticas Educativas, Linguagens e Tecnologias. Especialista em Educação das Relações Étnico-Raciais pelo (PROPGPEC/ EREREBÁ – Colégio Pedro II). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas Formação de professores/as, Currículo (s), Interculturalidade e Pedagogias Decoloniais – GFPPD. Faz parte da Rede de Carioca de Etnoeducadoras Negras. Seu interesse está centrado nos Estudos Decoloniais na América Latina, com foco nos seguintes temas: Teoria Pós-crítica do Currículo, Educação das Relações Étnico-raciais, Movimentos Sociais, Educação Popular e Pedagogias Decoloniais. Mãe de Olivia Griot e Maria Griot.


Aline Cristina Oliveira do Carmo

Pós-doutoranda em Educação (2020-2021) pela UNIRIO. Bacharel e licenciada em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 2008), bacharel em Direito pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO, 2010) e mestre em Filosofia pela UERJ (2011), com diploma de postítulo em Direitos Humanos e Processos de Democratização pela Faculdade de Direito da Universidade do Chile (2011). Obteve o doutorado em Filosofia pela UERJ em 2016. Atua como docente de Filosofia na educação básica e na pós-graduação; Membro do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NeabiCp2), do grupo de estudos e pesquisas Corpoder – Filosofias Decoloniais: corpos, poderes e saberes e do corpo docente do curso de Pós-graduação em Educação das Relações Étnico-raciais no Ensino Básico (EREREBÁ), lecionando a disciplina Filosofias africanas, afrodiaspóricas e decoloniais. Membro da Rede Carioca de Etnoeducadoras Negras e do grupo de pesquisa Formação de Professores, Currículo e Pedagogias Decoloniais (GFPPD/Unirio). Tem experiências de ensino e pesquisas nas áreas de filosofia e direito, com especial interesse nos temas: ética e filosofia política africana e afrodiaspórica; quilombos e quilombismos; descolonização; educação; direitos fundamentais. Pós-doutoranda em Educação (2020-2021) pela UNIRIO.


Elaine Barbosa

Doutoranda em Direito (FND/UFRJ). Mestre em Educação (UNIRIO); Advogada, pesquisadora e membro do Instituto de Cultura e Consciência Negra Nelson Mandela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: